Archive for Janeiro, 2004

Gritos agonizantes de um coração sangrando

Posted by: Clodoilson

Janeiro 25th, 2004 >> Revoltados :P, Sombrios

A dor profunda vem invadindo a carne imitando uma bárbara adaga fria, enfiada por um cão danado entre minhas costelas e a bacia; grito meu grito abafado que ecoa como que de uma caverna sombria lotada de condenados, dói o peito, rasga-se a alma e o corpo fica em agonia.Pobre daquele cujo coração não experimentou o amor, bálsamo divino que confere alegria e esperança; sem amor o espírito cansa e fica em noite mesmo que seja dia…

Read the rest of this entry »

Eu sou o Arauto da Revolta

Posted by: Clodoilson

Janeiro 25th, 2004 >> Revoltados :P

Eu sou o Arauto da Revolta, todos vocês me enojam, me revoltam todos vocês que nasceram com um pouco mais de dinheiro e se acharam no direito de menosprezar os pobres, e ainda mais, se acharam livres da responsabilidade de diminuir a miséria na Terra.
Me revoltam todos vocês que nasceram um pouco mais belos e viram seus semelhantes como seres feios, seus feios atos me revoltaram ainda mais quando se acharam livres do dever de espalhar a beleza pela Terra…

Read the rest of this entry »

A substância negra nos átrios

Posted by: Clodoilson

Janeiro 18th, 2004 >> Sombrios

Venho a ti, ó tenebrosa criatura chamada mentira,
venho dizer-te que te repudio,
a obra que te tem por alicerce logo vem à ruína,
tua vida é curta, sois senhora da ilusão humana.
Quero dizer-te, não mais me iludirás,
odeio a ti, não quem tu corrompes,
é assim que me vingarei,
assim se manifestará a verdade em meu coração.

 
18/01/2004

Descriativo

Posted by: Clodoilson

Janeiro 18th, 2004 >> Existencialista

Não é fácil desfazer o que já está mal acabado, criar o incriado parece mais difícil que tudo, como desfazer o casamento entre este e o nada do qual nossa noção de existência é filha, cargas genéticas divididas, inclinações por livre arbítrio, abstrações por natureza?

Noção vaga do que é vazio, pensamento cheio do que não conheço, só a busca pela quietude e a inconstância são constantes; é chegada a hora de compreender que há muito a desaprender, formatar a alma, ter a suprema coragem de escolher o ser ao invés de ter a existência como um presente do acaso, e mais, torná-la suprema também, transformá-la em alegria eterna e orgulho da criação, como se saltássemos do nada que somos para a Unidade com o Único, o Ser existente…

Read the rest of this entry »

Canção do exílio

Posted by: Clodoilson

Janeiro 18th, 2004 >> Homenagens, Sombrios

Minha terra tem lixeiras,

Onde catam os cheira-colas;

Os mendigos que por aqui vagueiam,

Pelejam para roubar.

Nosso céu se torna cinza,

Nossas várzeas, maus odores,

Nossos bosques são vendidos,

Nossa vida sem penhores…

Read the rest of this entry »

%d blogueiros gostam disto: